Coleta seletiva de Porto Alegre não funciona bem

Boletim gravado para o programa Conversa de Jornalistas, da Associação Rio-Grandense de Imprensa – Ari, que vai ao ar todos os sábados, ao meio-dia, pela rádio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul 1080 AM, e é apresentado pelos jornalistas Glei Soares e Ênio Rockembach.

Eu conversei essa semana com o Roberto Alves, que é assessor de imprensa do Departamento Municipal de Limpeza Urbana de Porto Alegre, o DMLU, e, o que não foi nenhuma surpresa, em relação ao que percebo andando pelas ruas da cidade, é a afirmação de que a população da capital gaúcha tem se descuidado muito com a questão das separações dos lixos orgânicos e recicláveis.

Na Avenida Praia de Belas, próximo ao shopping, por exemplo, eu verifico que, diariamente, as sacolinhas de supermercados, muito utilizadas para embalar os lixos domésticos, contêm papéis, plásticos, vidros e outros tipos de materiais recicláveis misturados com o lixo orgânico.

Nesse ponto da Avenida, as coletas seletivas ocorrem nas terças e sextas-feiras, pela parte da manhã. E as coletas de lixo orgânico acontecem as segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 18 horas. Para saber os dias das coletas em cada rua, os interessados devem acessar o sítio da prefeitura, que é www.portoalegre.rs.gov.br, clicar em DEPARTAMENTOS, depois em DMLU; em seguida clicar em SERVIÇOS e optar por COLETA SELETIVA ou COLETA DOMICILIAR. Outras opções, para quem não dispõe de acesso à internet, é ligar para o número 156 ou comparecer a prefeitura municipal.

O caminho para o descarte e destinação sustentáveis do lixo doméstico pode parecer, num primeiro momento, um tanto trabalhoso. Mas, certamente, os resultados são positivos. A dedicação individual, nesse caso, pode contribuir com o desenvolvimento da nossa cidade.

O que me parece ser um dos principais problemas desse descaso com o tratamento do lixo é a degradação dos nossos arroios e do Guaíba. Essa falta de cuidado, além de aumentar os custos com o tratamento da água fornecida pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto, o DMAE, entope bueiros, que contribui com os alagamentos, e cria focos de vetores de doenças, como ratos e mosquitos.

O cidadão de Porto Alegre, cidade precursora em separação de lixo em todo o País, além de cobrar das autoridades públicas o tratamento adequado de nossos resíduos domésticos, industriais e hospitalares, pode contribuir de forma mais efetiva com esse esforço coletivo.

Do Observatório Ambiental, projeto do Instituto de Comunicação Social e Cidadania, Heverton Lacerda para o Conversa de Jornalistas.

TABELA DE RECOLHIMENTO DE LIXOS RECILÁVEIS

Para acessar a tabela clique aqui.
Anúncios

Comente aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s